SINDSEF - Sindicato dos Servidores Federais do Estado de Rondônia Deputado Mauro Nazif encaminha pauta do Sindsef ao Ministério da Economia sobre Plano Econômico dos servidores do MS – SINDSEF – Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia
quarta-feira , setembro 29 2021
Home / Notícias / Destaque / Deputado Mauro Nazif encaminha pauta do Sindsef ao Ministério da Economia sobre Plano Econômico dos servidores do MS

Deputado Mauro Nazif encaminha pauta do Sindsef ao Ministério da Economia sobre Plano Econômico dos servidores do MS

Atendendo a reivindicações do Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Estado de Rondônia – Sindsef/RO, o deputado federal Mauro Nazif encaminhou ao Ministério da Economia expediente solicitando manifestação do órgão sobre a motivação que levou a retirada dos planos econômicos (Plano Collor de 84,32%) do contracheque dos servidores do Ministério da Saúde.

Em resposta, o Ministério da Economia informou que não foi localizada a informação do número do processo judicial que garantiu o direito da percepção da vantagem em questão, o que limita o Ministério quanto à verificação das motivações que geraram a exclusão do pagamento e um posicionamento conclusivo desta área.
Considerando a ausência, o Ministério da Economia respondeu ainda que não é possível informar qual a causa que gerou a suspensão do pagamento, e se esta foi realizada de forma indevida sendo passível de manutenção.

A Diretoria Executiva do Sindsef/RO, agradece a iniciativa do gabinete deputado federal Mauro Nazif em provocar o Ministério da Economia sobre o assunto, pois considera de fundamental importância, o apoio da bancada federal nas demandas apresentadas pelo sindicato. Na oportunidade, o Sindsef reitera a seus filiados que permanece atuante nessa demanda em prol de todas as categorias afetadas com a retirada.

E informa ainda, que a assessoria jurídica do Sindsef/RO está recorrendo judicialmente com recursos, de forma a provar que tal medida de retirada das rubricas, não tem alcance legal, uma vez que é adotado na via administrativa, contrariando a coisa julgada existente nos processos originários que tramitaram perante a Justiça do Trabalho, ou seja, revelando um claro descumprimento da ordem judicial da qual não houve reversão por outra decisão judicial.