SINDSEF - Sindicato dos Servidores Federais do Estado de Rondônia Dia Internacional da Mulher: Comemorar ou lamentar – nota do Sindsef – SINDSEF – Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia
sexta-feira , maio 10 2019
Home / Notícias / Destaque / Dia Internacional da Mulher: Comemorar ou lamentar – nota do Sindsef

Dia Internacional da Mulher: Comemorar ou lamentar – nota do Sindsef

Com o cenário político nada favorável às mulheres, o Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia – Sindsef considera que este é mais um Dia Internacional das Mulheres, sem motivos para comemorar. Retomadas as negociações sobre as propostas de Reforma da Previdência no congresso, as mulheres continuam sendo as principais penalizadas, pois terão que alcançar 7 anos a mais de idade e contribuir por mais 5 anos, para então, obter o beneficio integral na aposentadoria.

Como se não bastasse, a tentativa da Reforma da Previdência retroceder direitos historicamente conquistados, o Governo Federal editou no último dia 1 de março, a Medida Provisória 873, que tem como foco, fragilizar as organizações sindicais e enfraquecer a luta em prol dos direitos de milhares de trabalhadoras. Com a alteração na MP, as entidades estão proibidas de efetuar o desconto das mensalidades e contribuições sindicais diretamente da folha de pagamento dos filiados.

“Queremos interpretar que essas iniciativas não representam o sentimento do Presidente Jair Bolsonaro, que sabe perfeitamente, através do convívio com sua mãe, esposa, filha e assessoras, como é desgastante a dupla jornada enfrentada pelas mulheres, bastante exigidas no emprego e no trabalho doméstico. E sim, que os idealizados das propostas menosprezam os esforços das mulheres trabalhadoras”, disse o presidente do Sindsef, Abson Praxedes.

Segundo o entendimento da Diretoria Executiva do Sindsef, essa seria uma data oportuna para que os congressistas prestassem uma justa homenagem às mulheres brasileiras, reprovando as medidas propostas na Reforma da Previdência que retiram delas, o direito a aposentadoria com menor idade e de protagonismo na luta sindical. Dia 8 de Março deve ser visto não como um dia de homenagens superficiais, mas um dia de gritar ao Governo Federal que não podemos arcar com os desmandos na gestão pública, como a corrupção, privilégios e regalias, em vários setores nas três esferas de Poder.

Viva as mulheres!