SINDSEF - Sindicato dos Servidores Federais do Estado de Rondônia Greve dos servidores federais em Rondônia começa na segunda-feira – SINDSEF – Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia
sábado , junho 25 2022
Home / Notícias / Destaque / Greve dos servidores federais em Rondônia começa na segunda-feira

Greve dos servidores federais em Rondônia começa na segunda-feira

 

O Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia (Sindsef-RO) inicia na próxima segunda-feira 27.07 a greve geral da categoria por tempo indeterminado. A greve vai atingir apenas os órgãos da administração direta e indireta do Poder Executivo do Governo Federal.

Segundo o presidente do Sindsef, Daniel Pereira, a paralisação em Rondônia será iniciada simultaneamente com a de Brasília, onde está concentrado o Comando Nacional de Greve. Incra, Ibama, Samf e Ministério da Saúde estão entre os órgãos onde haverá a concentração dos servidores grevistas a partir de segunda.

Na semana passada, representantes do Sindsef-RO participaram de uma caminhada em Brasília, convocada pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) e abriu caminho para a greve geral no setor. O protesto foi contra a proposta de aumento salarial de 21,3% oferecido pelo Governo Federal.

Sem propostas concretas, apenas verbais, e num cenário de incertezas, algumas categorias já deram a partida para a greve, como é o caso dos servidores do INSS.

A preocupação é que a categoria não continue amargando perdas salariais que já foram sentidas no último reajuste de 15,8% concedido ao longo de três anos (2013/2014/2015). Esse percentual, inclusive, já foi descontado pela categoria quando solicitou reajuste de 27,3% para 2016 para repor perdas acumuladas nos últimos anos, com 2% de ganho real.

 Segundo o assessor jurídico do Sindsef-RO, Paulo Vieira, as pautas principais do Comando Nacional são: A criação de uma política salarial permanente co correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias; índice linear de 27,3%; Data-base 1º de maio; Direito de negociação coletiva (convenção 151 OIT); Paridade salarial entre ativos e aposentados e aposentados; Retirada dos projetos do Congresso Nacional que atacam direito dos servidores federais; aprovação imediata de projetos de interesse dos servidores; Isonomia salarial e de todos os benefícios entre os Poderes.