SINDSEF - Sindicato dos Servidores Federais do Estado de Rondônia Servidores do DNIT entram em greve a partir e terça-feira – SINDSEF – Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia
domingo , setembro 25 2022
Home / Notícias / Servidores do DNIT entram em greve a partir e terça-feira

Servidores do DNIT entram em greve a partir e terça-feira

 

Todos os servidores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em Rondônia entram em greve, por tempo indeterminado, a partir do dia 25, terça-feira. De acordo com manifesto divulgado pelos trabalhadores, a paralisação é a única forma de chamar atenção do governo federal para a situação crítica que se encontra a categoria, sem reajuste salarial há muito tempo e sem estrutura para desenvolver suas atividades.

Na pauta de reivindicações eles cobram, também, a nivelação da remuneração dos profissionais do DNIT com a de servidores do mesmo nível e classificação, que estão em outros órgãos da administração pública federal.

De acordo com os servidores – que têm o apoio do Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Rondônia (Sindsef-RO) – há uma grande falta de compromisso do governo federal com o DNIT. Mesmo assim, eles citam que no ano passado, o DNIT encampou um trabalho sério e ágil, num esforço individual dos servidores, desburocratizando o sistema de aprovação de projetos, licitações e pagamentos de obras públicas, sob a promessa de estruturação da carreira e da autarquia até abril deste ano. Nada aconteceu. Mais uma vez o governo federal não cumpriu a palavra dada.

Eles apontam ainda que em maio deste ano o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) reconheceu a incompatibilidade salarial do DNIT em relação a outras carreiras do governo federal. A decisão mostra que são legítimas as reivindicações dos servidores. No entanto, o MPOG não possui autonomia para ajustar o plano de cargos e salários sem a determinação da Presidência da República.

Segundo o presidente do Sindsef-RO, Daniel Pereira, as reivindicações apontados pelos companheiros do DNIT são legítimas e devem ser cobradas do governo federal. Ele adiantou que o sindicato já trabalha para mobilização e novas ações junto ao governo em Brasília.

Daniel destaca que o órgão possui uma carteira de obras estimada em cerca de R$ 35 bilhões, com medições de R$ 1 bilhão/mês em obras e serviços e mais de cem contratos em andamento. Os números mostram que o DNIT é auto-sustentável e possui recursos para atender tanto a melhoria salarial pleiteada pelos servidores, bem como de toda estrutura física e operacional, hoje praticamente sucateada.