SINDSEF - Sindicato dos Servidores Federais do Estado de Rondônia Sindsef presente no Dia de Paralisação Nacional em Porto Velho – SINDSEF – Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia
terça-feira , fevereiro 7 2023
Home / Notícias / Destaque / Sindsef presente no Dia de Paralisação Nacional em Porto Velho

Sindsef presente no Dia de Paralisação Nacional em Porto Velho

Cerca de 200 servidores públicos dos municípios de Porto Velho, Guajará-Mirim e Ariquemes, mobilizados pelo Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia – Sindsef/RO, somaram à multidão que tomou as ruas do centro da capital, para  protestar contra os retrocessos que representa a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional – PEC 241 (PEC 55 no Senado).

Clique para conferir mais fotos 

sindsef2-fotos-dizeldo-souza-25-1024x683

Em Porto Velho, o ato de Paralisação Nacional teve inicio na praça da Estrada de Ferro Madeira Mamoré e encerrou em frente ao Centro Político Administrativo do Governo do Estado (CPA). A mobilização contou ainda com a adesão de entidades sindicais, movimentos sociais e estudantis.

No ato, o vice-presidente do Sindsef/RO, Mário Jorge Sousa de Oliveira, levou os participantes a refletirem sobre os problemas do nosso país enfrenta, eles eles a dívida pública e a não realização da reforma tributária.

sindsef2-fotos-dizeldo-souza-19-1024x683-1024x683

“Não podemos pagar o pato pelas mazelas do Governo Federal que se nega a taxar as grandes fortunas, que não faz que o Brasil precisa e onde o trabalhador paga o mesmo percentual de imposto e tributo que pagam os latifundiários, os bancários e as grandes empresas”, disse Mário Jorge.

O representante do Conselho Fiscal da Condsef, Herclus Coelho, enumerou alguns motivos pela qual a PEC 421 é nociva ao trabalhador. “A PEC congela o salário do servidor; retira os direitos de progressões funcionais, direitos trabalhistas e impede o servidor de recorrer judicialmente para requer seus direitos”, destacou.

sindsef-1-43-1024x678-1024x678

Segundo Herclus, os prejuízos são bem maiores para a saúde e educação, pois os 15% de investimentos hoje repassados pelo Governo não serão suficientes para atender a população em crescimento, pelos próximos 20 anos. “Isso é um retrocesso, não podemos atacar essa situação. Por isso, o servidor público tem que ir pra rua exigir que os senadores que não votem a favor da PEC”, enfatizou.