SINDSEF - Sindicato dos Servidores Federais do Estado de Rondônia XVI CONTRASF segue com leitura do regimento interno e análise de conjunturas – SINDSEF – Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia
domingo , julho 3 2022
Home / Notícias / Destaque / XVI CONTRASF segue com leitura do regimento interno e análise de conjunturas

XVI CONTRASF segue com leitura do regimento interno e análise de conjunturas

O XVI Congresso do Sindsef/RO (Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia) – CONTRASEF prossegue nesta quinta-feira (12), com a leitura do regimento interno e o início dos debates e discussões das propostas de alteração do estatuto da entidade. O evento acontece no Hotel Minuano, em Ji-Paraná desde quarta-feira (11) segue até sexta-feira (13).

Congresso Sindsef1

Clique para conferir mais fotos

A leitura das propostas de alteração do estatuto foi dirigida pelos representantes do sindicato: Flávio Santos (coordenador de Ji-Paraná); Antônio Ferreira (secretário de Formação Sindical) e Paulo Vieira (secretário jurídico). Na oportunidade, os delegados puderam fazer pontuações e sugerir propostas.

No momento seguinte, os palestrantes convidados: Marisar Marsília (presidente do Sindsef do Estado do Rio Grande do Sul); Sérgio Ronaldo (secretário geral da Condsef) e Edilson Muniz (secretário jurídico da Condsef) discursaram sobre o atual cenário político do país e explanaram suas avaliações da conjuntura nacional.

Um panorama da conjuntura estadual de Rondônia também foi apresentado o congresso, pelo presidente do Sindsef/RO e vice-governador, Daniel Pereira. Entre os pontos elencados, o presidente fez uma avaliação de todas as áreas do estado, como educação, agricultura, saúde, economia, entre outros.

Congresso Sindsef2

Daniel fez algumas pontuações direcionadas aos servidores públicos. De acordo com ele, a situação do Instituto de Previdência Social dos Servidores do Estado de Rondônia – IPERON, representa uma preocupação. “De cada R$ 3,00 dos cofres do Iperon, R$ 2,00 deles foi o atual governo quem fez o repasse. Vale lembrar que Confúcio Moura é o oitavo governador de Rondônia. Os outros governadores depositaram apenas um terço desse valor”, disse ao denunciar que o valor descontado dos servidores não era repassado ao instituto.

O presidente citou ainda que cerca de 10 mil servidores públicos completaram há mais de seis anos, o tempo de contribuição e de idade para se aposentar. Porém não o fazem, pois aguardam a transposição para o quadro federal. “Isso impossibilita o Governo do Estado de aposenta-los pelo Iperon e/ou de contratar novos servidores”, disse.

Embora tenha reduzido em 50% os cargos comissionados, Rondônia continua próximo ao limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Principalmente, após a Emater ter passado a ser empresa pública, aumentando ainda mais a despesa do Estado com folha de pagamento.

Apesar disso, Rondônia não enfrenta greve dos servidores desde 2015, quando segundo Daniel, o Governo antecipou a discussão com os sindicatos e apresentou a situação econômica do estado.